Confira o Boletim Epidemiológico da dengue desta terça-feira (13)

Outras notícias da semana

Confira a pauta da sessão ordinária desta terça-feira, 27 de outubro

A Câmara Municipal de Brusque realiza sessão ordinária nesta terça-feira, 27 de outubro, a partir das 17h. A reunião marca o retorno das sessões...

Boletim Epidemiológico de sexta-feira, 30 de outubro

A Prefeitura de Brusque, por meio da Vigilância em Saúde, registrou 34 novos casos de Covid-19 nas últimas 24 horas. Segundo o último boletim...

Polícia Civil de Brusque atua em apoio a Operação ‘Ficha Limpa’, no Litoral

A Divisão de Investigação Criminal - DIC de Brusque, Delegacia de Proteção à Criança, ao Adolescente, Mulher e ao Idoso (DPCAMI) de...

Operação prende quadrilha suspeita de extorquir moradores do Vale do Itajaí e de outras regiões de SC

Após cerca de dois meses de investigação, a Polícia Civil de Ascurra, no Vale do Itajaí, prendeu quatro suspeitos de aplicar o...

O programa de Combate a Endemias de Brusque registrou um novo caso autóctone de dengue nesta última quinzena. Trata-se de um morador do bairro Santa Terezinha. A equipe de agentes já realizou a aplicação do inseticida Cielo, num raio de 150 metros da moradia. Ao todo, este ano, o município já soma 43 casos da doença, sendo 27 contraídos na cidade e 16 importados.

Desde o início do ano foram contabilizados 1.157 focos positivos do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue. Os bairros com maior número de foco permanecem: Santa Rita com 150, Centro com 127, Santa Terezinha com 90 e São Luiz com 83.

A equipe do laboratório de entomologia da Vigilância em Saúde já analisou mais de 37 mil larvas, sendo destas, 10.592 são de larvas do Aedes aegypti, coletadas em 477 armadilhas e 108 locais estratégicos, floriculturas, ferros velhos, borracharias e cemitérios. “A larva leva de sete a dez dias para se tornar mosquito. Depois de eclodir ele vive de 30 a 35 dias e neste período pode pôr cerca de 600 ovos. Por isso é tão difícil combater o mosquito”, explica a coordenadora do programa de Combate a Endemias, Letícia Figueredo.

“Por isso nós trabalhamos com orientação e eliminação de depósitos, para termos chances de reduzir a população de Aedes aegypti. O número de casos de dengue ainda é relativamente baixo em relação à nossa população total, porém precisamos da colaboração de todos para não aumentar o número de insetos”, finaliza Letícia.

Últimas postagens

Caixa libera hoje saque do FGTS para nascidos em setembro e outubro

Cerca de 10,2 milhões de trabalhadores nascidos em setembro e outubro podem retirar, a partir de hoje (31), R$ 1.045 do saque emergencial do...

Acidentes registrados pelo Corpo de Bombeiros na manhã e tarde de sábado, 31

Uma colisão carro e moto mobilizou o Corpo de Bombeiros na rua Maximiliano Furbringer, bairro Souza Cruz. O acidente ocorreu por volta das 8h15...

Obituário (30 de Outubro)

Central Funerária  – Faleceu às 20h43 de sexta-feira (30), com 60 anos, Anastácio Knihs, que morava no Arraial dos Cunhas. Velório na...

Obituário, 31 de outubro de 2020

Central Funerária  – Faleceu às 20h43 de sexta-feira (30), com 60 anos, Anastácio Knihs, que morava no Arraial dos Cunhas. Velório na...

Emprego – Warusky contrata

Warusky contrata: Costureira de amostra, necessário ter experiência em maquina overloque, reta, e cobertura. Interessados enviar currículo...
Publicidade
WhatsApp chat