Matias Kohler, presidente da Ammvi, comenta minuta direcionada aos municípios

Outras notícias da semana

Antecipação do INSS poderá ser pedida sem limitação de distância

Até 31 de outubro, os segurados do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) poderão pedir a antecipação do auxílio-doença em todas as localidades do...

Brusque não participará dos Jogos Abertos de Santa Catarina

A Fundação Municipal de Esportes (FME) de Brusque divulgou nota destacando que o município não será uma das sedes e também não...

Retomada da Economia e perspectivas foi tema de entrevista com o economista e diretor regional do SESI/SENAI

Na manhã desta quinta-feira, 24, o Jornal da Diplomata recebeu Roberto Zen, economista e diretor regional do SESI/SENAI. Na oportunidade ele tratou do momento...

Missas agora terão limite de 50% do público

Com o decreto do Governo do Estado, emitido na última quinta-feira, 24 de setembro, foi ampliada a presença de público em celebrações...

O presidente da AMMVI, Matias Kolher, prefeito de Guabiruba, falou ao vivo no Jornal da Diplomata na manhã desta segunda-feira, 20, sobre a minuta elaborada pela associação dos municípios que edita adoção de novas medidas mais restritivas de enfrentamento à pandemia do Coronavírus.

O documento serve de balizamento regional e não tem poder de decreto, mas, serve de modelo para as cidades do Médio e Alto Vale do Itajaí.

O conjunto de medidas regionalizadas foi redigido neste domingo, 19, após um encontro virtual entre mandatários que comporem a Ammvi. De acordo com Matias Kolher, a principal preocupação é com a ocupação da estrutura de saúde.

“Esgotamos toda a capacidade de atenção hospitalar de toda a região da Ammvi; ontem às 22h fechamos com 99% dos leitos de UTI ocupados, com 107% de leitos Covid. Este cenário nos empurra, forçosamente, a medidas extremas – que não são de fácil decisão e por isso os prefeitos devem hoje editar seus decretos e buscar sensibilizar aquela parte da população que ainda não entendeu”, comentou Matias.

“Estimamos que 70% da população que já acompanha as restrições, mas temos ainda 30% que estão descompromissadas, que põem em risco os demais; havendo um comprometimento (adesão), estimo um cenário de que nos próximos 14 dias teremos uma diminuição de grau de contágio”, comentou Kolher.

Conforme Matias, as restrições em vista tendem a diminuir o fluxo de pessoas em ambientes públicos e privados, no entanto, o objetivo é manter a atividade econômica regional, de modo adaptado.

“Logicamente não é nada impositivo, mas conseguimos com as reuniões buscar um consenso, pois precisamos que as medidas sejam coletiva; temos de antemão que alguns municípios seguirão medidas mais restritivas e dentro do cenário atender as solicitações de todos os setores”, frisou.

Acompanhe a entrevista.

Últimas postagens

Após caso de estupro, comandante da PM faz desabafo e alerta para cuidados com doações

Segue o texto na íntegra emitido pelo tenente-coronel Otávio Ferreira, comandante do 18º Batalhão de Polícia Militar. Sres. agentes...

Fesporte resolve cancelar JASC 2020

A Fundação Catarinense de Esporte (Fesporte), em reunião com membros do Conselho Estadual de Esporte (CED) e do Tribunal de Justiça Desportiva do Estado...

Audiozoom – Emoção em ouvir

A Audiozoom é o maior Centro Auditivo de Santa Catarina, são 15 anos transformando a vida de milhares de pessoas, dando a...

Prefeitura fará pinturas nas faixas de pedestres na Rua São Pedro

A Prefeitura de Brusque comunica que fará as pinturas nas faixas de pedestres na Rua São Pedro, ao longo do trecho da...

PM de Brusque prende homem suspeito de estupro enquanto pedia doações para uma instituição de caridade

Nesta quarta-feira, 30, em Brusque, policiais do 18º Batalhão de Polícia Militar (BPM) prenderam um homem de 19 anos, suspeito de estupro...
Publicidade
WhatsApp chat