Prefeitos da AMMVI reforçam pleito por novos leitos de UTI

Na reunião, que aconteceu de forma virtual, os prefeitos pediram também intervenção do Estado na compra de medicamentos e kits de intubação.

Outras notícias da semana

Diretor executivo do OSB fala sobre monitoramento das eleições 2020

O Observatório Social de Brusque (OSB) tem apresentado desde sua criação em um papel importante em diversas demandas especialmente no acompanhamento e...

Bruscão volta a vencer após tropeços e mantêm liderança na Série C do Brasileiro

Na tarde deste domingo, 20, o Brusque FC recebeu no estádio Augusto Bauer o Tombense de Minas Gerais, em jogo valido pela 7ª rodada...

Coronavírus em SC: Saúde estabelece novos regramentos para funcionamento de templos religiosos

O Governo do Estado atualizou nesta quarta-feira, 23, a portaria que estabelece regramentos para o funcionamento de templos religiosos. A portaria 736 autoriza a...

Boletim confirma morte de homem de 65 anos por Covid-19; 55 óbitos no município

A Vigilância em Saúde de Brusque registrou nova redução no número de casos ativos de Covid-19 na cidade, nas últimas 24 horas....

Os prefeitos da Associação dos Municípios do Médio Vale do Itajaí (Ammvi) se reuniram, na tarde desta terça-feira (14), com o secretário de Estado da Saúde, André Motta Ribeiro, a fim de apontar as dificuldades enfrentadas pela região. O encontro foi uma solicitação dos prefeitos que, preocupados com a evolução de casos do novo coronavírus, internações e óbitos, reivindicaram ampliação do número de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) nos hospitais da região.

Na reunião, que aconteceu de forma virtual, os prefeitos pediram também intervenção do Estado na compra de medicamentos e kits de intubação, a fim de garantir que as unidades hospitalares estejam preparadas para o aumento da demanda e adequadas ao atendimento da população. O cenário atual mostra que 25% dos leitos ocupados no Médio Vale são com pacientes de outras regiões. Por isso, os prefeitos cobraram maior atenção do Estado também para as demais macrorregionais de saúde, já que o Médio Vale é muito impactado pelas regiões do entorno.

“Compreendemos que a regulação das unidades hospitalares é estadual, porém a matriz de risco potencial é regional e isso traz impactos diretos nas medidas que os prefeitos devem tomar”, explica a coordenadora da Comissão Intergestores Regional (CIR), Márcia Adriana Cansian, secretária municipal de Saúde de Botuverá. Segundo ela, a região tem capacidade ainda de instalar 30 leitos de UTI, porém precisa de auxílio para organização do atendimento, suprimentos e equipamentos.

Conforme o presidente da Ammvi, Matias Kohler, prefeito de Guabiruba, os prefeitos pediram ainda ao secretário de Estado suporte e apoio na fiscalização das medidas decretadas pelo Estado e pelos municípios. “Já nos reunimos com o comando-geral da Política Militar nesta semana e buscamos parcerias para que possamos dar conta da fiscalização, que deve ser efetiva neste momento para garantir a continuidade das medidas de enfrentamento da pandemia”, explica Kohler.

Na reunião, o secretário Motta Ribeiro reafirmou que as cirurgias eletivas devem ser evitadas. Além disso, frisou que é necessário qualificar a entrada do paciente nos hospitais, aprimorar o diagnóstico e o monitoramento na rede pública de saúde. “Vamos continuar com o diálogo, entendendo a necessidade do compartilhamento de decisão”, afirma o secretário.

“O cenário é preocupante e, por isso, os prefeitos têm editado medidas mais restritivas. É imprescindível que a população siga as orientações divulgadas pelo poder público, caso contrário, em breve, não teremos mais suporte na saúde pública”, apela o presidente da Ammvi.

Dados da região

Durante a reunião, o diretor do Consórcio Intermunicipal de Saúde do Médio Vale do Itajaí (Cisamvi), Cleones Hostins, apresentou alguns dados do Médio Vale ao secretário Motta Ribeiro, como também reivindicações da Comissão de Governança Regional para o enfrentamento do novo coronavírus. A Comissão acompanha e orienta os gestores na tomada de decisão. Assuntos como testagem, aferição de temperatura corporal, monitoramento e notificação de casos, profilaxia, leitos atuais e capacidade de ampliação, resultado e avaliação da matriz de risco potencial já foram discutidos na reunião entre a Comissão, secretários municipais de Saúde, Cisamvi, Ammvi e prefeitos na semana passada.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) aponta que cerca de 5% das pessoas infectadas com o novo coronavírus precisarão de atendimento em unidade intensiva, por isso há forte preocupação dos gestores municipais quanto à ocupação dos leitos de UTI pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

Últimas postagens

Jovem de 28 anos morre após acidente de trânsito, na SC-410, Nova Trento

A Polícia Militar Rodoviária atendeu um acidente de trânsito com vítima fatal, no Km 28,600 da SC 410, em Nova Trento, por...

Mega-Sena, concurso 2.303: ninguém acerta as seis dezenas e prêmio vai a R$ 60 milhões

A Caixa fez neste sábado (26) em São Paulo o sorteio do concurso 2.303 da Mega-Sena. As dezenas sorteadas foram as seguintes: 03 - 07...

Idosa de 81 anos é a 57ª vítima fatal da Covid-19 em Brusque

Foi registrada neste sábado (26), em Brusque, o 57° caso de morte por coronavírus em Brusque. Trata-se de uma idosa de 81...

Homem é preso pela PM por homicídio cometido no Limoeiro

A Polícia Militar de Brusque, em apoio à Polícia Militar de Itajaí, deteve um homem de 39 anos na noite deste sábado...

Setembro Amarelo: Campanha de prevenção ao suicídio é destaque no Jornal da Diplomata em entrevista com integrantes do CVV

Desde 2014, a Associação Brasileira de Psiquiatria – ABP, em parceria com o Conselho Federal de Medicina – CFM, organiza nacionalmente o Setembro Amarelo. O dia...
Publicidade
WhatsApp chat