Sancionada lei que prevê repasse para o setor cultural

Outras notícias da semana

Polícia Militar prende dois homens após caso de furto em supermercado

Na manhã desta sexta-feira, 07, a Policia Militar prendeu um homem por furto e outro por receptação. O fato aconteceu no bairro...

Prefeitura apresenta novos números da Covid-19

A Vigilância em Saúde registrou mais 116 novos casos de coronavírus nas últimas 24 horas. Segundo o último boletim epidemiológico divulgado neste...

Em busca do sonho, jovem pede ajuda financeira para fazer testes em clube goiano

Lucas Gabriel Pires, 18 anos, natural de Leblon Régis, está em busca do sonho de ser jogador de futebol profissional. Há onze meses...

Confira as aprovações da sessão ordinária desta terça-feira, 11 de agosto

Reunidos remotamente em sessão ordinária virtual nesta terça-feira, 11 de agosto, vereadores aprovaram três projetos de lei e um pedido de informação na Ordem...

O presidente da República, Jair Bolsonaro, sancionou nesta segunda-feira (29), a Lei nº 14.017/2020 que dispõe sobre ações emergenciais destinadas ao setor cultural a serem adotadas durante o estado de calamidade pública. A medida, denominada de Lei de Emergência Cultural Aldir Blanc, assegura o valor total de R$ 3 bilhões a serem divididos de forma igualitária entre Estados e Municípios.  

Conforme estimativa da Confederação Nacional de Municípios (CNM), o Brusque receberá quase R$ 900 mil. Embora garantido por lei, o recurso ainda não tem data prevista de repasse pela União.

“Esperamos ansiosos o repasse desse recurso, com certeza ele está vindo em boa hora. Penso que vai dar uma movimentada em toda a classe artística que está parada, há praticamente 100 dias, boa parte das pessoas nem tem uma previsão de retorno”, comenta Igor Balbinot, superintendente da Fundação Cultural de Brusque.

O texto trata que o valor deve ser investido em ações como renda emergencial aos trabalhadores da cultura; subsídio para manutenção de espaços artísticos e culturais, microempresas e pequenas empresas culturais, organizações culturais comunitárias, cooperativas e instituições culturais; além de editais, chamadas públicas, prêmios, aquisição de bens e serviços vinculados ao setor cultural e outros instrumentos destinados à manutenção de espaços, de iniciativas, entre outros.

“A princípio os municípios ficam com a responsabilidade de distribuir os recursos para entidades, associações, coletivos de artistas, escolas de artes, escolas de músicas, escolas de dança, livrarias e demais entidades que estão inclusas na lei, bem como o lançamento de editais, chamamentos públicos e investimentos em compras de serviços ou de itens para toda a cadeia local”, explica Igor.  

A lei compreende como trabalhador da cultura as pessoas que participam de cadeia produtiva dos segmentos artísticos e culturais descritos no artigo oitavo, que trata dos espaços culturais. Além disso, estão incluídos artistas, contadores de histórias, produtores, técnicos, curadores, oficineiros e professores de escolas de arte e capoeira.

Texto: Secom/Prefeitura de Brusque

Últimas postagens

ACIBr promove reunião virtual com secretário adjunto de Saúde de SC

A Associação Empresarial de Brusque (ACIBr), promoveu na manhã desta quarta-feira, 12 de agosto, uma reunião com o secretário adjunto de Saúde...

UBS do Volta Grande reabre na próxima sexta-feira (14)

A Secretaria de Saúde de Brusque informa que a Unidade Básica de Saúde do bairro Volta Grande será reaberta para atendimento, entre...

Interligado – sorteio 12 de agosto.

Pizza média 3 sabores (consumir no local) da Choperia Golden Bier, aberta de domingo a sexta das 18:00 às 23:00 e aos...

Fundação Cultural está com matrículas abertas; termina nesta quinta, 13

Encerra nesta quinta-feira (13) o período de inscrições para os cursos da Escola de Artes da Fundação Cultural de Brusque. As aulas são gratuitas...

Conversando com Você de 12 de agosto de 2020

Conversando com Você de 12 de agosto de 2020. Ouça! Conversando com Você de 12 de agosto de...
Publicidade
WhatsApp chat