Hospital Dom Joaquim está em reforma e ampliação, com plano de UTI para 2021

Outras notícias da semana

Coronavírus em SC: Saúde estabelece novos regramentos para funcionamento de templos religiosos

O Governo do Estado atualizou nesta quarta-feira, 23, a portaria que estabelece regramentos para o funcionamento de templos religiosos. A portaria 736 autoriza a...

Núcleo de E-commerce participa de encontro regional

Na noite desta quinta-feira, 24 de setembro, os Núcleos de E-commerce, vinculados às Associações Empresariais de Brusque, Rio do Sul e Palhoça,...

Briga entre irmãos termina com um esfaqueado, no bairro Águas Claras

Uma desavença entre irmãos terminou com lesão corporal grave (esfaqueamento) nesta quinta-feira (24), na rua Luiz Eccel, bairro Águas Claras, em Brusque....

Confira o boletim epidemiológico desta quarta-feira, 23 de setembro

A Vigilância em Saúde de Brusque registrou sete novos casos de Covid-19 nas últimas 24 horas. Segundo o último boletim epidemiológico divulgado...

Obras de reforma e ampliação no Hospital e Maternidade Dom Joaquim foram destaque no Jornal da Diplomata na manhã deste sábado, 6. Estiveram ao vivo para falar dos planejamentos, que envolvem serviços futuros na entidade hospitalar, o diretor e padre Valdir Prim e a gerente de enfermagem Vera Civinski.

De acordo com Valdir, em meio à pandemia, o hospital busca adaptar sua rotina de atendimento, frente ao crescimento da demanda por conta da Covid-19.

“A gente entendeu que com essa pandemia exige muito mais capacidade para atender e cuidar da vida das pessoas, precisamos ampliar e fazer reformas que são necessárias, para estes momentos mais difíceis”.

Alguns projetos que estão em andamento necessitam de recursos para serem iniciados. Conforme Prim, a busca é por recursos de verbas públicas, através de emendas parlamentares, com o objetivo de aumentar a capacidade para atender à população, em parcerias com o poder público.

Alguns convênios já foram firmados com Poder Executivo local, mas, a ampliação deverá assegurar possibilidades de atendimentos mais amplos, que ligados ao Governo do Estado.

“Vai possibilitar ter 24 horas de atendimento todos os dias e, ao mesmo tempo, entrar na política pública do Estado, enquanto isso não podemos pleitear para fazermos parte”, explicou Prim.

Valdir Prim, diretor do Hospital e Maternidade Dom Joaquim.
Valdir Prim, diretor do Hospital e Maternidade Dom Joaquim.

Atualmente, o hospital atende através do SUS (Sistema Único de Saúde), que atinge 92% dos atendimentos, mais os planos de saúde particulares e convênios com sindicatos. A pandemia trouxe outros desafios além do campo estrutural, devido à queda de faturamento, que impactaram no campo administrativo. Mesmo com as dificuldades, a direção buscou preservar o quadro de ocupações do quadro de colaboradores.

“Tivemos uma queda de 45% de faturamento; afetou muito nossa instituição e fizemos um esforço para não demitir ninguém”, comentou Valdir.

Sobre a área técnica da saúde, Vera Civisnki destacou o plano de reforma e ampliação se concentra em áreas de grande circulação do público que chega ao hospital, principalmente na parte antiga da casa hospitalar, com o objetivo oferecer mais qualidade e segurança.

enfermagem Vera Civinski.
Vera Civinski, gerente de enfermagem do Hospital Dom Joaquim, no Jornal da Diplomata

“Estamos repensando o hospital desde o ano passado; nestes últimos meses, mesmo com a pandemia, a gente já vem nesta reforma estrutural na parte mais antiga do hospital para poder acomodar as pessoas, da forma como a gente gostaria”, destacou Vera.

As obras serão concentradas para um novo pronto-atendimento, recepção e nova acomodação para o setor de radiologia. A previsão de término das obras é para o mês de setembro.

diretor e padre Valdir Prim e a gerente de enfermagem Vera Civinski.
Diretor e padre Valdir Prim e a gerente de enfermagem Vera Civinski, do Hospital Dom Joaquim, no Jornal da Diplomata

UTI – É um dos projetos em vista da direção do Hospital Dom Joaquim. O planejamento para a Unidade Terapia Intensiva ficará com foco de trabalho em 2021.

Conforme Vera, a necessidade da unidade avançada é para atender a necessidade de leitos, frente aos efeitos causados pela pandemia.

“Esta pandemia mostra que a unidades hospitalares tem que ter leitos de retaguarda, que são as UTI’s, é uma necessidade para dar suporte à população, ficou temerosa, é uma outra realidade”, comentou Vera.

Acompanhe a entrevista, conduzida por Hamilton Júnior.

Entrevista com diretores do Hospital e Maternidade Dom Joaquim.

Últimas postagens

Confira o boletim epidemiológico desta sexta-feira, 25 de setembro

A Vigilância em Saúde de Brusque registrou 26 novos casos de Covid-19 nas últimas 24 horas. Segundo o último boletim epidemiológico divulgado...

Mulher de 54 anos é a 9ª vítima da Covid-19 em Guabiruba

A Prefeitura de Guabiruba, por meio da Secretaria de Saúde do município, informa e lamenta a perda de mais um guabirubense para...

Quatro policiais do 18°BPM são agraciados com medalhas, em Blumenau

Na manhã desta sexta-feira,25, três policiais militares do 18° Batalhão de Polícia Militar (18°BPM), foram agraciados com a entrega das medalhas Corpo...

Mulher é hospitalizada após cair de escada, desequilibrada por um gato

O Corpo de Bombeiros atendeu nesta sexta-feira (25), pouco antes das 9h da manhã, uma ocorrência de acidente doméstico, na rua José Schirmer, Guabiruba....

Polícia Civil cumpre mandado de busca e apreensão em Guabiruba

A Polícia Civil de Brusque, por meio da Delegacia de Guabiruba, com apoio da Divisão de Furtos e Roubos de Brusque, ...
Publicidade
WhatsApp chat