Em pouco mais de três meses 20 casos autóctones de dengue são registrados

Outras notícias da semana

Confira o boletim epidemiológico da Prefeitura de Brusque nesta segunda-feira (29)

Confira o boletim epidemiológico da Prefeitura de Brusque nesta segunda-feira (29) Centro da cidade concentra maior número de casos...

Corpo de Bombeiros detalha diversas ocorrências atendidas em virtude do temporal

Muito trabalho em curto tempo. Atendimentos simultâneos. Chamados vindos de diversos bairros. Quedas de árvores, destelhamento, acidente de trânsito – graves, incêndio...

Ministério da Saúde habilita novos leitos de UTI do Hospital Azambuja

Na última sexta-feira, 3 de julho, foi publicada a Portaria do Ministério da Saúde a qual habilita os 10 (dez) novos leitos...

Incêndio em residência é controlado pelos bombeiros no Limoeiro

Por volta das 11h20 desta quinta-feira, 02, o Corpo de Bombeiros foi acionado para o atendimento de um incêndio em residência na Rua Ângelo...

Brusque já soma 36 casos confirmados de dengue, sendo que destes, 20 são autóctones (contraídos no próprio município). Os bairros com maior número de focos do mosquito Aedes aegypti são Santa Rita (108), Centro (74) e Santa Terezinha (60).

Há casos autóctones em nove bairros diferentes, um aumento exponencial em pouco mais de três meses. O primeiro caso contraído no município foi registrado em fevereiro, no bairro Steffen. Agora, São Pedro, Limeira, Santa Rita, Santa Terezinha, São Luiz, Limoeiro e Azambuja já possuem pessoas infectadas.

“Estamos muito preocupados com este número. Pois nosso município tinha casos confirmados, mas sempre importados. A maioria destes casos é no Santa Rita, que provavelmente será considerado infestado no próximo mês. Pedimos que as pessoas atendam nossos agentes de endemias, deixem que eles façam vistoria, para que possamos combater o mosquito”, esclarece a coordenadora do Programa de Combate a Endemias, Letícia Figueredo.

Em todos os locais foi aplicado o inseticida Malathion, que mata o mosquito alado; e em recipientes que encontra-se água parada que não é possível eliminação, os agentes de endemias usam o larvicida Piryproxyfen.

“Precisamos reforçar a necessidade de fazer a limpeza de nossos quintais, cuidar das calhas, fechar caixas d’água. Cuidar com vasinhos de planta, folhagens que acumulam água. Cada pessoa precisa fazer sua parte para que possamos eliminar o mosquito transmissor da dengue”, destaca o secretário de Saúde Humberto Fornari.

Últimas postagens

Ministério da Saúde habilita novos leitos de UTI do Hospital Azambuja

Na última sexta-feira, 3 de julho, foi publicada a Portaria do Ministério da Saúde a qual habilita os 10 (dez) novos leitos...

PRE interrompe trânsito para remoção de caminhão que caiu em ribanceira na SC-108

Um caminhão saiu da pista e tombou em uma ribanceira às margens da rodovia Gentil Batisti Archer (SC-108). O acidente ocorreu por...

Caminhão se desgoverna ao descer a rua Gustavo Halfpap

Um caminhão deslizou ao descer a rua Gustavo Halfpap e se chocou contra o guard-rail e o muro da residência que fica...

Conversando com Você de 06 de julho de 2020

Conversando com Você de 06 de julho de 2020. Ouça! Conversando com Você de 06 de julho de...

Previsão do tempo de 06 de julho de 2020.

Previsão do tempo de 06 de julho.
Publicidade
WhatsApp chat