Trabalhadores de tinturaria realizam manifestação pela falta de salários

Munidos de faixas e apoiados por representantes do Sintrafite, os trabalhadores realizaram um ato pacifico que durou aproximadamente uma hora.

Outras notícias da semana

Duas candidaturas são registradas para disputa eleitoral em Botuverá

No município de Botuverá se confirmaram às duas candidaturas que foram lançadas nas convenções partidárias. Às duas chapas que concorrem ao pleito...

Confira o boletim epidemiológico desta quinta-feira, 24 de setembro

A Vigilância em Saúde de Brusque registrou 15 novos casos de Covid-19 nas últimas 24 horas. Segundo o último boletim epidemiológico divulgado...

Retomada da Economia e perspectivas foi tema de entrevista com o economista e diretor regional do SESI/SENAI

Na manhã desta quinta-feira, 24, o Jornal da Diplomata recebeu Roberto Zen, economista e diretor regional do SESI/SENAI. Na oportunidade ele tratou do momento...

Brusque cede ao empate contra o Volta Redonda, em jogo de pênalti, virada e superação por desfalques

O Brusque FC chegou muito perto da vitória por 2 x1, mas, no final do segundo tempo cedeu à pressão e ficou no...

Na tarde desta segunda-feira, 27, cerca de 30 trabalhadores da Favo Tinturaria, localizada na Rua Joaquim Zucco, bairro Nova Brasília, em Brusque, realizaram manifestação reclamado o atraso dos salários parte do mês de fevereiro e os salários de março. Munidos de faixas e apoiados por representantes do Sindicatos dos Trabalhadores na Indústria de Fiação, Tecelagem de Brusque (Sintrafite), os trabalhadores realizaram um ato pacifico que durou aproximadamente uma hora nos portões da empresa.

A nossa reportagem esteve no local e conversou com o presidente do Sintrafite, Aníbal Boetger que informou que foi procurado pelos funcionários que estão aflitos com a falta do pagamento dos salários.

“Os trabalhadores trabalharam e a empresa produziu, onde estão os valores da produção? As pessoas estão em dificuldade extrema sem alimentos, sem dinheiro para pagar os alugues”, destacou Boetger.

A sindicato torce para que a situação possa ser resolvida o mais breve possível. Segundo com o acerto não vai ser necessário recorrer à justiça.

Em nome dos manifestantes o funcionário Genilson “Maranhão” discorreu sobre as mesmas dificuldades já apontados pelo dirigente do Sintrafite. “ Primeiro haviam informado que os salários seriam pagos dentro do mês até dia 15, mas agora nem isso estão cumprindo.

O empresário João Beuting responsável pela empresa apareceu na manifestação e conversou com imprensa justificando que a situação se complicou com o fechamento das empresas nos estados de São Paulo e Goiás, onde estão concentrados 95% dos negócios da empresa.

“Não tiramos do direito de reclamar dos funcionários, mas já havia conversado com eles. A situação do coronavírus dificultou o cenário econômico, logo isso deve acontecer também com outras empresas”.

Beuting finalizou afirmando que soluções estão sendo buscadas para levantar recursos junto a instituições financeiras, ou até torcendo para retomada das atividades das empresas parcerias em São Paulo e Goiás.

Últimas postagens

Conversando com Você de 28 de setembro de 2020

Conversando com Você de 28 de setembro de 2020. Ouça! Conversando com Você de 28 de setembro de...

Conversando com Você de 25 de setembro de 2020

Conversando com Você de 25 de setembro de 2020. Ouça! Conversando com Você de 25 de setembro de...

Rompimento de cabos afeta telefonia e internet na Rua Rodrigues Alves

O rompimento de cabos de telefonia e outras fiações geram preocupação e transtornos nas imediações da rua Rodrigues Alves, no Centro. O problema se...

Presidente do Sintrafite fala sobre Convenção Coletiva da categoria

O Jornal da Diplomata recebeu na manhã desta segunda-feira, 28, o sindicalista Aníbal Boetger, presidente do Sindicato dos Trabalhadores na Industria da Fiação, Tecelagem...
Publicidade
WhatsApp chat