Presidente da Fesporte avalia que pandemia provoca momento decisivo para guinada de inovação

Outras notícias da semana

Corpo de Bombeiros atende acidentes em Brusque e Guabiruba; colisão, capotamento e queda de moto

Guabiruba - O Corpo de Bombeiros foi acionado para um capotamento de veículo, por volta das 7h30 desta quinta-feira, 24. O acidente...

Mega-Sena acumula e pagará R$ 43 milhões na quarta-feira

Ninguém acertou as seis dezenas da Mega-Sena sorteadas neste sábado (19), em São Paulo. Eis os números sorteados: 17, 18,...

Núcleo de E-commerce participa de encontro regional

Na noite desta quinta-feira, 24 de setembro, os Núcleos de E-commerce, vinculados às Associações Empresariais de Brusque, Rio do Sul e Palhoça,...

Guabiruba inicia nova etapa de testagem aberta para Covid-19

A testagem aberta para Covid-19 em Guabiruba, que teve início no dia 2 de setembro, avança para uma nova etapa a partir da...

A pandemia provocou um impacto profundo na Fesporte. O lado ruim é a paralisação das competições, porém, a necessidade de replanejamento do calendário da entidade máxima do esporte catarinense pode servir como um “divisor de águas”.

O presidente da Fesporte, Ruy Godinho, falou ao Jornal da Diplomata na manhã desta sexta-feira, 24, sobre o quadro emergencial para “salvar o esporte catarinense” – como disse Godinho. São diferentes pontos decisões, além da causa maior que é a luta contra a Covid-19, devido ao decreto estadual que suspende competições esportivas até o final do mês de maio.

Em termos de recomeço, a Fesporte planeja sua retomada a partir de julho.

Ruy Godinho durante palestra de capacitação na Fesporte (Foto: Divulgação)
Ruy Godinho durante palestra de capacitação na Fesporte (Foto: Divulgação)

“A Fesporte não é mais apenas uma realizadora de eventos, mas uma fomentadora do esporte”, é uma das frases em que Ruy demonstra seu campo de visão para mudanças.

Enquanto isso, a paralisação causa um grave problema no esporte: a queda vertiginosa do suporte econômico que movimenta atletas, técnicos, profissionais de atividades físicas, projetos sociais, secretarias e fundações municipais, associações, centros de treinamentos e uma gama de atividades fins que subsidiam a ampla engrenagem, que traz impacto direto no tecido social do segmento e suas áreas correspondentes, desde o comércio de produtos até o treinamento diário dos atletas.

De acordo com Ruy, a Fesporte está sendo decisiva neste momento, em socorro ao esporte catarinense.

“Começou a movimentação de alguns municípios a não pagar programas Bolsa Atleta e Bolsa Técnico, já tem locais inadimplentes – sabemos da crise financeira pela baixa arrecadação”, explicou.

Competição de natação durante Jogos Escolares
Competição de natação durante Jogos Escolares (Foto: Antônio Prado/Fesporte)

“Era mais fácil para mim cancelar o calendário e fazer ano que vem, mas não esse pessoal ficaria sem receber, iriam abandonar o esporte e os nossos futuros atletas, chegando ao fim do esporte catarinense pois não teria todo o valor necessário; vamos fazer sim dentro das nossas possibilidades”, destacou Ruy.

A mudança para essa guinada é drástica e busca otimização de espaços e tempo. Diminuição no número de classificados, sistemas de mata-mata (encurtamento das fases) e não utilizar escolas como alojamentos. Conforme Ruy, o enxugamento do calendário virá com uma economia aos cofres do estado, em torno de 50% – diminuindo milhões investidos.

No ano passado, usamos 12 milhões de reais para realizar nossos eventos. Neste ano será abaixo de 6 milhões. Será uma redução de mais de 50%. E os municípios também poderão reduzir seus custos em torno de 30% a 50%”, analisou.

Para os municípios, o momento é também de inovações, avaliou Godinho.

Ruy Godinho durante apresentação de calendário no início de 2020
Ruy Godinho durante apresentação de calendário no início de 2020 (Foto: Heron Queiroz/Ascom/Fesporte)

“Penso que as fundações e secretarias tem que se reinventar em possibilidade, para atender esse novo cenário, a Fesporte é parceira, estamos trazendo algumas responsabilidades que são dos municípios, mas peço que analisem o próprio cenário para se tornarem mais eficientes com menos recursos – pensar fora da caixa”, comentou.

Para Rui Godinho, a pandemia provocará um novo conceito para o esporte, porém, muitos setores ainda se encontram em modelos antigos que agora passam a ficar “obsoletos” (referência usada por Ruy) frente às mudanças que estão por vir.

“É uma dificuldade muito grande pois se faz como há 60 anos é da mesma forma e quando falo em inovações há uma resistência sim; nós não vamos perder o que conquistamos e digo que estamos nos reinventando. Essa pandemia veio para mostrar essa virada, é difícil para algumas pessoas aceitarem, porém será necessário encarar uma nova forma de fazer esporte ”, frisou Ruy.

Atletas comemorando medalhas conquistadas nos Jogos Escolares.
Alunos-atletas comemorando medalhas conquistadas nos Jogos Escolares da Juventude (Foto: Heron Queiroz/Fesporte)

Entre as últimas decisões, a Fesporte não colocará as modalidades ingressantes nas respectivas competições: Jiu-Jitsu nos Joguinhos e o taekwondo e o badminton na OLESC.   A entrevista completa será destaque no Esporte Amador.

Últimas postagens

Setembro Amarelo: Campanha de prevenção ao suicídio é destaque no Jornal da Diplomata em entrevista com integrantes do CVV

Desde 2014, a Associação Brasileira de Psiquiatria – ABP, em parceria com o Conselho Federal de Medicina – CFM, organiza nacionalmente o Setembro Amarelo. O dia...

Obituário, 26 de setembro de 2020

Central Funerária – Faleceu às 8h de sexta-feira (25), com 74 anos, Genesio Júlio Dalpra, que residia no bairro Steffen. Sepultamento às...

Confira o boletim epidemiológico desta sexta-feira, 25 de setembro

A Vigilância em Saúde de Brusque registrou 26 novos casos de Covid-19 nas últimas 24 horas. Segundo o último boletim epidemiológico divulgado...

Mulher de 54 anos é a 9ª vítima da Covid-19 em Guabiruba

A Prefeitura de Guabiruba, por meio da Secretaria de Saúde do município, informa e lamenta a perda de mais um guabirubense para...

Quatro policiais do 18°BPM são agraciados com medalhas, em Blumenau

Na manhã desta sexta-feira,25, três policiais militares do 18° Batalhão de Polícia Militar (18°BPM), foram agraciados com a entrega das medalhas Corpo...
Publicidade
WhatsApp chat