Acadêmicos da UNIFEBE apresentam projeto em conferência internacional da Bulgária

Videoconferência entre pesquisadores de vários países foi realizada entre os dias 2 e 4 de abril.

Outras notícias da semana

Setembro Amarelo: Campanha de prevenção ao suicídio é destaque no Jornal da Diplomata em entrevista com integrantes do CVV

Desde 2014, a Associação Brasileira de Psiquiatria – ABP, em parceria com o Conselho Federal de Medicina – CFM, organiza nacionalmente o Setembro Amarelo. O dia...

Confira o boletim epidemiológico desta quarta-feira, 23 de setembro

A Vigilância em Saúde de Brusque registrou sete novos casos de Covid-19 nas últimas 24 horas. Segundo o último boletim epidemiológico divulgado...

COVID-19: Boletim epidemiológico 27 de setembro

A cidade de Brusque já tem 5389 pacientes recuperados do coronavírus. Segundo o último boletim epidemiológico divulgado neste domingo (27) o total de casos confirmados...

Presidente do Sintrafite fala sobre Convenção Coletiva da categoria

O Jornal da Diplomata recebeu na manhã desta segunda-feira, 28, o sindicalista Aníbal Boetger, presidente do Sindicato dos Trabalhadores na Industria da Fiação, Tecelagem...

Os acadêmicos de Sistemas de Informação do Centro Universitário de Brusque (UNIFEBE), Julhiano Glanert de Castro e Paulo Raimundi apresentaram na 18ª International Conference on e-Society (ES 2020), o projeto Mobilidade Urbana e IoT: Soluções Inteligentes para Sustentabilidade.

A orientadora do artigo e professora da UNIFEBE, Hannelore Nehring, conta que o projeto foi submetido pelos estudantes e aceito pela International Association for the Development of the Information Society (IADIS), para ser apresentado entre os dias 2 e 4 de abril, em Sofia, na Bulgária. Por causa da pandemia de coronavírus as apresentações ocorreram via videoconferência.

No projeto Mobilidade Urbana e IoT: Soluções Inteligentes para Sustentabilidade os acadêmicos apresentaram um modelo de estação inteligente, utilizando IOT “Internet das coisas” (Internet of Things), com vários sensores e microcontroladores que coletam dados sobre temperatura, luminosidade, umidade, entre outros dados.

De acordo com o acadêmico e pesquisador, Julhiano Glanert de Castro, o intuito é que a estação desenvolvida por meio do projeto seja de código aberto (Open Source), para que outros interessados possam criar suas próprias estações e contribuir para o desenvolvimento e melhorias. As estações estariam dispostas em vários pontos da cidade para uma boa abrangência na coleta de dados, e seriam integradas a uma plataforma em nuvem, que armazena os dados a fim de serem utilizados para diversos fins.

“As estações inteligentes que estamos desenvolvendo são um projeto alternativo mais barato e mais sustentável que as que temos instaladas em Brusque. Além disso, elas fariam parte do projeto Open Source, uma forma de possibilitar que qualquer pessoa desenvolva sua própria estação e, por meio da inteligência artificial, possa prever intempéries como enchentes, por exemplo”, enfatiza Julhiano.

O projeto visa ainda criar um website que exiba todos os dados que estão sendo coletados, utilizando gráficos para melhor visualização.

Para a orientadora do artigo e professora da UNIFEBE, Hannelore Nehring, a oportunidade possibilitou que os estudantes apresentassem para o mundo seus conhecimentos científicos. “Foi uma experiência enriquecedora para todos nós. Expor nossa pesquisa em uma conferência internacional mostra que nossos acadêmicos têm um alto nível de conhecimento, e que utilizarão o aprendizado em prol da sociedade”, ressalta Hannelore.

Segundo a supervisora de Pesquisa e Internacionalização da UNIFEBE, professora Rafaela Bohaczuk Venturelli Knop, a instituição oferece o apoio necessário para que os alunos vivenciem experiências que agreguem ao currículo acadêmico.

“É gratificante ver o conhecimento científico desenvolvido na UNIFEBE, ultrapassando fronteiras e alcançando amplitudes internacionais”, salienta Rafaela.

“Estamos muito felizes. Nosso projeto foi muito bem recebido e elogiado por vários doutores da área, e isso nos incentiva muito a seguir em frente. Estar na mesma posição de pesquisadores de muitos países não tem preço”, conclui Julhiano. 

Fonte: Assessoria de Imprensa – UNIFEBE.

SourceRedação

Últimas postagens

COVID-19: Boletim epidemiológico 27 de setembro

A cidade de Brusque já tem 5389 pacientes recuperados do coronavírus. Segundo o último boletim epidemiológico divulgado neste domingo (27) o total de casos confirmados...

Brusque não participará dos Jogos Abertos de Santa Catarina

A Fundação Municipal de Esportes (FME) de Brusque divulgou nota destacando que o município não será uma das sedes e também não...

Condutores são socorridos após colisão entre carro e caminhão, na Beira Rio

Um acidente entre carro e caminhão foi registrado na manhã desta segunda-feira (28), por volta das 10h, na margem direita da Avenida Beira Rio,...

Histórias da construção civil: Aos 72 anos, trabalhador atua há mais de meio século no setor

Aos 72 anos de idade, o pedreiro Raul Coelho da Silva está na ativa e a todo vapor. E não pensa em...

Tiro de Guerra realiza Tiro de Instrução Básico (TIB) em Brusque

O Tiro de Guerra de Brusque realizou nos dias 24 e 25 de setembro o Tiro de Instrução Básico (TIB) com os...
Publicidade
WhatsApp chat