Governo Federal suspende reajuste de medicamentos por 60 dias

O Governo cogitou suspender o aumento para medicamentos usados em pacientes com a Covid-19, mas foi estendido a todos os remédios.

Outras notícias da semana

Incêndio destrói 5 mil m² de vegetação no Guarani

O Corpo de Bombeiros combateu mais um incêndio de grandes proporções, na tarde deste domingo, 31. O sinistro em vegetação rasteira atingiu uma encosta...

Obituário (4 de junho)

Funerária Estrela: Faleceu ontem às 20h30min, aos 72 anos, Protatz, que residia no bairro Limeira. O corpo está sendo velado na Capela Municipal Parque da...

CDL completa 51 anos e realiza Sábado Fácil especial Dia dos Namorados

Na manhã desta quarta-feira, 03, o Jornal da Diplomata recebeu o presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Brusque para falar sobre eventos,...

Professor e filósofo Rodrigo Cesari fala sobre o controle emocional no período da pandemia

Na manhã deste sábado, 30, o Jornal da Diplomata recebeu o professor e filósofo Rodrigo Cesari que falou sobre o “A capacidade...

Governo do Brasil anunciou que o reajuste anual de todos os remédios será adiado por dois meses. O motivo é a crise provocada pela pandemia do coronavírus.

De acordo com a Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos, o aumento seria cerca de 4% e passaria a vigorar neste mês de abril. A decisão consta da Medida Provisória 933 de 2020. 


“Em comum acordo com a indústria farmacêutica, conversamos também entre os ministros. O aumento que é previsto por lei para os remédios fica suspenso por 60 dias. Daqui a 60 dias será reavaliado novamente”, explica o Ministro-chefe da Casa Civil, Braga Netto.

O Governo cogitou suspender o aumento para medicamentos usados em pacientes com a Covid-19, mas foi estendido a todos os remédios.
A Associação Brasileira de Redes de Farmácias e Drogarias (Abrafarma), apoia a decisão, que considera pertinente diante da crise que o Brasil enfrenta. 

“Fizemos manifestações para o Ministério da Economia, Ministério da Saúde, Casa Civil e acreditamos que é um momento de solidariedade e de apoio à população. É um momento difícil para os fornecedores, principalmente pela variação do câmbio, mas a Abrafarma apoia integralmente esse adiamento”, afirma o CEO da Abrafarma, Sergio Mena Barreto.

No Brasil, o preço de diversos medicamentos é tabelado. Há diferença de valor para compras públicas e do setor privado. Mas, muitos remédios isentos de prescrição, ou seja, que não exigem receita médica, têm os preços liberados dessa regulação.

SourceRedação

Últimas postagens

Petrobras reajusta em 5% preço do gás de cozinha

A Petrobras informou que vai reajustar em 5% o preço médio do gás liquefeito de petróleo (GLP) vendido pela companhia às distribuidoras a partir...

Polícia Militar flagra dois veículos transportando aves silvestres em Botuverá

A Polícia Militar de Botuverá apreendeu gaiolas com aves silvestres ao abordar dois veículos no bairro Ribeirão do Ouro. A fiscalização, na rodovia Germano...

Conversando com Você de 04 de junho de 2020

Conversando com Você de 04 de junho de 2020. Ouça! Conversando com Você de 04 de junho de...

Diretor do Consórcio Nosso Brusque fala sobre regras para retorno do transporte coletivo na segunda-feira

Na manhã desta quinta-feira, 4, o Jornal da Diplomata conversou ao vivo com Arthur Klann, diretor do Consórcio Nosso Brusque que falou...

Obituário (4 de junho)

Funerária Estrela: Faleceu ontem às 20h30min, aos 72 anos, Protatz, que residia no bairro Limeira. O corpo está sendo velado na Capela Municipal Parque da...
Publicidade
WhatsApp chat