Anvisa decide banir gordura trans até 2023

Outras notícias da semana

Brusque vence o São Bento e mantém liderança isolada na Série C

O Brusque FC venceu o São Bento de Sorocaba-SP na tarde deste domingo, 18, no estádio Augusto Bauer. Em confronto válido pela 11ª rodada,...

Brusque não registra nenhum novo caso de coronavírus de 23 para 24 de setembro

A cidade de Brusque já tem 5.757 pacientes recuperados do coronavírus. Segundo o último boletim epidemiológico divulgado neste sábado (24) o total...

Homem de 32 anos é encontrado sem vida às margens da Rua da Fazenda

Um homem de 32 anos, identificado como Jean Carlos Castellain, foi encontrado sem vida às margens da rua Abraão de Souza e...

Mais dois candidatos são sabatinados durante assembleia do GRUPIA

Foi realizada na manhã de quinta-feira (22), a segunda etapa da Sabatina com os candidatos à majoritária no pleito eleitoral de 2020...

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou hoje (17), por votação unânime, um novo conjunto de regras que visa banir o uso e o consumo de gorduras trans até 2023.

A nova norma será dividida em 3 etapas. A primeira será a limitação da gordura na produção industrial de óleos refinados. O índice de gordura trans nessa categoria de produtos será de, no máximo, 2%. Essa etapa tem um prazo de 18 meses de adaptação, e deverá ser totalmente aplicada até 1º de julho de 2021.

A data também marca o início da segunda etapa, mais rigorosa, que limita a 2% a presença de gorduras trans em todos os gêneros alimentícios. De acordo com nota publicada pela Anvisa, a medida deverá “ampliar a proteção à saúde, alcançando todos os produtos destinados à venda direta aos consumidores”.

A restrição da segunda fase será aplicada até 1º de janeiro de 2023 – período que marca o início da terceira fase e o banimento total do ingrediente para fins de consumo. A gordura trans ainda poderá ser usada para fins industriais, mas não como ingrediente final em receitas para o consumidor.

Ácidos graxos trans

Presente principalmente em produtos industrializados, a gordura trans – ou ácido graxo trans, na nomenclatura técnica – é usada para para eliminar odores desagradáveis e indesejáveis nos produtos finais. A gordura trans está associada ao aumento do colesterol ruim (LDL) e degradação do colesterol bom (HDL).

Segundo informa a Anvisa, há provas concretas de que o consumo de gordura trans acima de 1% do valor energético total dos alimentos aumenta o risco de doenças cardiovasculares.

A agência informou ainda que, em 2010, a média de consumo de gorduras trans pelos brasileiros em alimentos industrializados girava em torno de 1,8% – valor considerado perigoso.

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), a gordura trans foi responsável por 11,5% das mortes por doenças coronárias no Brasil naquele ano, o equivalente a 18.576 óbitos em decorrência do consumo excessivo do óleo.

Últimas postagens

Brusque FC presta homenagem a atletas que completaram 50, 100 e 150 jogos com a camisa quadricolor

Na manhã de sábado (24), o Brusque Futebol Clube prestou homenagem aos atletas que completaram 50, 100 e 150 jogos com a...

Obituário, 25 de outubro de 2020

Faleceu às 7h35 de sábado (24), com 75 anos, Mazilda dos Santos, que morava em Azambuja. Sepultamento ocorreu ás 16h do mesmo dia,...

PM prende homem por violência doméstica, no Guarani

Por volta das 17h de sábado, a Polícia Militar de Brusque atendeu ocorrência de violência doméstica, ocorrido no bairro Guarani. No...

Homem é resgatado após cair e ficar preso em área de difícil acesso, no Brilhante II

Por volta das 17h de sábado (24), os bombeiros de Brusque foram acionados para o resgate de uma pessoa em local de difícil...

Mega-Sena acumula e próximo concurso pode pagar R$ 45 milhões

Ninguém acertou as seis dezenas do concurso 2312 da Mega-Sena. O prêmio acumulou e a estimativa para o próximo concurso é R$...
Publicidade
WhatsApp chat