Petrobras eleva preço da gasolina em 3,5% e do diesel em 4,2%

Outras notícias da semana

Covid-19: Prefeitura de Brusque edita novo Decreto

A Prefeitura de Brusque editou no final da tarde desta segunda-feira (6) o Decreto número 8.654, que dispõe sobre novas medidas de...

Câmara de Guabiruba realizou primeira sessão de julho

Na noite de terça-feira, 07 de julho, aconteceu mais uma sessão ordinária de forma remota (videoconferência) da Câmara Municipal de Guabiruba. Os trabalhos foram...

Defesa Civil divulga aviso meteorológico com alternância de melhora do tempo e de queda na temperatura

A Coordenadoria de Proteção e Defesa Civil de Brusque divulga aviso meteorológico emitido pela Epagri/Ciram nesta quarta-feira (08), com a previsão de melhora do...

Covid-19: Diretor de Saúde vai conhecer protocolo adotado em Manaus; cápsula Vanessa

Segunda-feira (13) o diretor-geral da Secretaria de Saúde, Rodrigo Cesari, viajará para Manaus (AM), onde vai conhecer um protocolo diferente para pacientes que precisam de...

A Petrobras anunciou, na noite desta quarta-feira (18), reajuste nos preços da gasolina e do óleo diesel. Os novos valores passam a valer nesta quinta-feira (19) nas vendas de refinarias para distribuidoras.

O litro da gasolina foi reajustado em 3,5% e o do diesel, em 4,2%. Para o consumidor final, porém, sobre esses valores, serão acrescidos encargos tributários e trabalhistas e as margens de lucro dos postos de combustíveis.

Na última segunda-feira (16), a Petrobras divulgou nota sobre o bombardeio de refinarias na Arábia Saudita, responsável pela produção de 5% do petróleo mundial, o que gerou uma imediata elevação dos preços dos combustíveis no mundo. A estatal informou, na ocasião, que continuaria monitorando os preços do petróleo e não faria um ajuste de forma imediata.

O último reajuste da gasolina no Brasil havia sido em 5 de setembro e o do diesel, em 13 de setembro. Em sua página na internet, a Petrobras explica como funcionam o mecanismo e as decisões de formação de preços dos combustíveis por ela vendidos.

“Nossa política de preços para a gasolina e o diesel vendidos às distribuidoras tem como base o preço de paridade de importação, formado pelas cotações internacionais destes produtos mais os custos que importadores teriam, como transporte e taxas portuárias, por exemplo. A paridade é necessária porque o mercado brasileiro de combustíveis é aberto à livre concorrência, dando às distribuidoras a alternativa de importar os produtos”, explica, em nota, a estatal.

Segundo a companhia, a gasolina e o diesel vendidos às distribuidoras são diferentes dos produtos no posto de combustíveis. São os combustíveis tipo A: gasolina antes da sua combinação com o etanol e diesel sem adição de biodiesel. “Os produtos vendidos nas bombas ao consumidor final são formados a partir do tipo A misturados a biocombustíveis.”

Texto: Agência Brasil

Últimas postagens

Humberto Fornari continua internado, conforme boletim médico deste domingo, 12

COVID-19 – Estado de Saúde do Secretário de Saúde, Humberto Fornari (Boletim Secom) Sobre o...

COVID-19: Brusque ultrapassa mil casos da doença

A Vigilância em Saúde de Brusque informa que foram registrados 53 novos casos de coronavírus nas últimas 24...

Botuverá tem 29 casos confirmados de coronavírus

A Secretaria de Saúde informou, na tarde deste domingo (12), que há 29 casos confirmados de coronavírus em Botuverá.

Bombeiros controlam princípio de incêndio em poste

Por volta das 7h deste domingo, 12, o Corpo de Bombeiros combateu um incêndio em fiação telefônica em um poste de iluminação pública. O...

Mega-Sena acumula e pode pagar R$ 44 milhões na terça-feira

Nenhum apostador acertou as seis dezenas do Concurso 2.278 da Mega-Sena sorteadas neste sábado (11), no Espaço Loterias Caixa, em São Paulo. Com isso, o prêmio para o...
Publicidade
WhatsApp chat