Estratégia final: Projeto da barragem entrará na disputa do Orçamento da União

Outras notícias da semana

Brusque vence e abre vantagem na semifinal

O Brusque FC enfrentou neste domingo (2), o Juventus no primeiro jogo da semifinal do Catarinense. A equipe quadricolor não começou...

Coronavírus: Secretaria da Fazenda atenderá somente em horários agendados

Para ampliar o distanciamento social, medida de enfrentamento ao novo Coronavírus, a Secretaria da Fazenda da Prefeitura de Brusque passa a realizar...

SIMESC: Somente aplausos não derrotarão o Coronavírus (Nota dos Médicos de SC)

No momento em que a capacidade das UTIs em Santa Catarina está próxima a 85%, a abertura de novos leitos é importante...

Câmara de Guabiruba retorna após recesso parlamentar

Na noite de terça-feira, 04, a Câmara Municipal de Guabiruba retornou as sessões ordinárias após o recesso parlamentar. Os encontros que continuam sendo realizados...

Entrar no orçamento do Governo Federal em 2020, essa é a estratégia firmada em conjunto por lideranças empresariais e políticas para que projeto da construção da barragem de Botuverá – assim conhecido, saia do papel.

A definição foi tomada na reunião de diretoria da ACIBR – Associação Comercial e Industrial de Brusque, realizada na noite desta segunda-feira, 9.

Participou do encontro, o Secretário Estadual de Defesa Civil, João Batista Cordeiro Júnior, que entre os prefeitos de Brusque, Guabiruba e Botuverá, com dos diretores da associação comercial, explanou como se encontra o andamento do projeto em relação ao Governo do Estado.

De acordo com João Cordeiro, o último passo importante conquistado foi inclusão do projeto no Plano Nacional de Segurança Hídrica. O orçamento estimando é de R$ 165 milhões. A sinalização do plano nacional, em torno dos futuros investimentos das obras hídricas necessárias para o país, não menciona para quais obras serão destinados os recursos da União. A pressão política deve de ser fator fundamental para a concretização do projeto.

Estratégia final: Projeto da barragem entrará na disputa do orçamento da União
Estratégia final: Projeto da barragem entrará na disputa do orçamento da União

“Eu acredito que é possível e vejo que tem que haver empenho de toda as lideranças; temos de buscar que essa rubrica seja específica para a barragem”, explicou.

Entre outros impasses que circundam o tema, desde a fase de estudos, licenças ambientais – o embate com o ICMBio (que resultou na perda dos R$ 94 milhões destinados por financiamento e que foram remanejados para obras de infraestrutura rodoviária), futuros processos de construção e frentes de trabalho primordiais entre a nascente e a foz, o projeto engloba mudanças profundas para o desenvolvimento regional entre as cidades cortadas pelo Rio Itajaí Mirim e Rio Itajaí Açu – Itajaí e Navegantes, Camboriú e o Balneário.

Estratégia final: Projeto da barragem entrará na disputa do orçamento da União
Estratégia final: Projeto da barragem entrará na disputa do orçamento da União

De maneira que, o conforme o representante estadual da Defesa Civil, o engenhoso projeto é listado no plano como uma das quatro grandes obras hídricas do país e a principal para a região Sul – concorrendo com a Transposição do Rio São Francisco para destinação de recursos.

“Se temos a questão ambiental resolvida, agora a briga é política precisamos nos unir para que realmente acontecer “, disse o prefeito de Botuverá, José Luís Colombi, o Nene.

A luta pelo projeto, que já dura mais de três anos, dá entrada numa fase orçamentária decisiva. Pela impossibilidade financeira do Governo do Estado abarcar todo o recurso, inviabilidade de financiamento junto ao BNDES – por questões burocrática e de crédito, a investida das lideranças e poderes representativos da macrorregião, será de buscar todo tipo de apoio e pressão em Brasília, junto aos ministérios do desenvolvimento e no congresso – com a bancada catarinense.

Estratégia final: Projeto da barragem entrará na disputa do orçamento da União
Estratégia final: Projeto da barragem entrará na disputa do orçamento da União

Diante do típico cenário político, a meta é conseguir incluir a obra no orçamento da união, com rubrica e o valor exato da obra a ser destinado para o projeto.  

“Estamos falando de mais de 500 mil pessoas serem atingidas pelos benefícios da barragem, não só de vida, mas de patrimônio pela problemática das enchentes. Foi colocado na reunião que precisamos crescer ordenadamente e isso passa pela segurança que a barragem vai criar para o investimento de parque fabril e de moradias – não tem outro caminho a não ser pressionar, temos que ter a verba carimbada”, frisou o presidente da Acibr, Halisson Habitzreuter.

Estratégia final: Projeto da barragem entrará na disputa do orçamento da União
Estratégia final: Projeto da barragem entrará na disputa do orçamento da União

Após a reunião, a diretoria da ACIBR produzirá um ofício que servirá de emissão representativa da luta regional pelo projeto em Brasília – no congresso, com a bancada política catarinense, governo federal e ao presidente da república.

Últimas postagens

CDL mostra boas expectativas para o Dia dos Pais, com o Sábado Fácil

O presidente da CDL – Câmara de Dirigentes Lojistas, Fabrício Zen, comentou sobre as expectativas do comércio para o Dia dos Pais.

Conversando com Você de 05 de agosto de 2020

Conversando com Você de 05 de agosto de 2020. Ouça! Conversando com Você de 05 de agosto de...

Conversando com Você de 04 de agosto de 2020

Conversando com Você de 04 de agosto de 2020. Ouça! Conversando com Você de 04 de agosto de...

Previsão do tempo de 05 de agosto de 2020.

Previsão do tempo de 05 de agosto de 2020.

Temperô inicia nesta quarta-feira

Inicia nesta quarta-feira, 5 de agosto, a quinta edição do Festival de Inverno, o Temperô, realizado pelo...
Publicidade
WhatsApp chat