Secretaria de Obras identifica problema que pode ser causador de alagamentos no Centro

Secretaria de Obras identifica problema que pode ter sido causador de alagamentos no cruzamento da Felipe Schmidt com a João Bauer

Outras notícias da semana

Núcleo de Atividades Físicas comentam impacto e mudanças nos ambientes das academias

Praticantes de atividades físicas, frequentadores de academia e estúdios, bem como profissionais do setor – desde professores, educadores físicos/personal e empresários do ramo, aguardam o...

Presidente da ACIBr fala sobre situação econômica e novo decreto do estado que estendeu por mais 7 dias isolamento social

A Associação Empresarial de Brusque (ACIBr), informa que a partir de segunda-feira, 30 de março, estará retomando seu atendimento em regime de plantão. Alguns...

Vice-prefeito de Brusque fala sobre retomada de obras públicas e situação do município

Na manhã desta segunda-feira, 30, o Jornal da Diplomata, através de Sérgio Ferreira, conversou com o vice-prefeito de Brusque, José Ari Vequi, que destacou...

Presidente interino do SINDUSCON fala sobre situação da indústria da Construção Civil

O Sindicato da Indústria da Construção e do Mobiliário de Brusque (SINDUSCON) aliados a outras entidades enviou ofício ao governador de SC, na terça-feira...

Secretaria de Obras identifica problema que pode ter sido causador de alagamentos no cruzamento da Felipe Schmidt com a João Bauer 

Na manhã deste domingo (10), a Secretaria de Obras realizou uma intervenção no cruzamento das ruas João Bauer com a Felipe Schmidt. No local havia um problema de alagamento, que até atingia as residências, cada vez que chovia com maior intensidade na área central. Os transtornos eram constantes, e não só interditavam o trânsito, como atingia residências e comércios.

Cruzamento da Felipe Schmidt com a Joao Bauer
Cruzamento da Felipe Schmidt com a João Bauer. (Foto: Divulgação Especial)

O Secretário de Obras, Ricardo de Souza, explica que foi detectado um problema que pode ser o responsável pelos alagamentos. “Nós tínhamos um problema crônico no local. Qualquer chuva de maior intensidade colocava água nas residências e comércios, chegando a uma altura de 70 a 80 centímetros de água.

Obras
Bocas de lobo eram ligadas às galerias com um tudo de 20 centímetros. (Foto: Divulgação / Especial)

Um estudo feito pela equipe técnica mostrou que as caixas de captação (bocas de lobo), eram ligadas às galerias com um tudo de 20 centímetros, o que é considerado por Ricardo como um tubo insuficiente. “Fizemos a intervenção, e faremos a troca de cinco bocas de lobo e vamos fazer a ligação delas com a galeria existente ali com tubos de 40 centímetros. Acredito que, se não solucionar totalmente, vai amenizar, muito, o problema de enxurradas que tínhamos naquele local ali”, diz.

Últimas postagens

Conversando com Você de 02 de abril de 2020

Conversando com Você de 02 de abril de 2020. Ouça! Conversando com Você de 02 de abril de...

Núcleo de Atividades Físicas comentam impacto e mudanças nos ambientes das academias

Praticantes de atividades físicas, frequentadores de academia e estúdios, bem como profissionais do setor – desde professores, educadores físicos/personal e empresários do ramo, aguardam o...

Previsão do tempo de 02 de abril.

Previsão do tempo de 02 de abril.

Polícia Militar desmonta ponto de droga no bairro Itaipava

A Polícia Militar prendeu um homem de 23 anos por tráfico de drogas, na noite desta quarta-feira, 1º de abril. De acordo...

Matias Kohler é eleito novo presidente da AMMVI

O prefeito de Guabiruba, Matias Kohler, foi eleito e empossado presidente da AMMVI. A eleição aconteceu durante assembleia geral de prefeitos, realizada virtualmente, na...
Publicidade
WhatsApp chat