Início Notícias Segurança Pública Mulher que abrigava assaltantes em Brusque é condenada pelo Tribunal de Justiça

Mulher que abrigava assaltantes em Brusque é condenada pelo Tribunal de Justiça

TJSC confirmou condenação de mulher que deu apoio logístico a assalto em supermercado. Crime ocorreu em Itajaí

Integrante de uma quadrilha que praticava assaltos em Santa Catarina e no Paraná, uma mulher teve condenação confirmada pela 2ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Santa Catarina, em matéria sob a relatoria da desembargadora Salete Silva Sommariva, pelos crimes de roubo e associação criminosa em Itajaí. Em apelação criminal interposta pela ré, que buscava absolvição por falta de provas, os desembargadores, por unanimidade, deram parcial provimento para retirar a qualificadora do roubo e majorar a pena pelo concurso de pessoas. Assim, a pena da mulher foi ajustada para cinco anos, sete meses e seis dias de reclusão no regime semiaberto, vedada a substituição de pena privativa de liberdade por restritiva de direitos.

Em depoimento na delegacia, a mulher contou que estava com quatro meses de aluguel atrasado e, em razão disso, o namorado disse que faria um assalto para quitar os débitos. Após o contato do namorado com outros homens, a quadrilha, em um total de cinco, realizou assalto a um supermercado em agosto de 2005. Durante o crime, em que foram subtraídos R$ 2 mil em espécie mais R$ 50 mil em cheques, por coincidência uma viatura da polícia militar chegou ao estabelecimento.

Os assaltantes pegaram uma vítima como refém e fugiram. Houve perseguição policial. Após despistar a polícia, os criminosos abandonaram a refém mas esqueceram um telefone celular ao deixar o veículo. A partir daí os investigadores da polícia civil começaram o monitoramento dos indivíduos e chegaram à mulher, que abrigava os criminosos em uma casa no município de Brusque e emprestara o automóvel. Ela teria recebido pelo auxílio R$ 2.125,50, provenientes do depósito de um dos cheques roubados. Em juízo, ela contou outra história, negou participação e disse que o dinheiro era do pagamento de programas.

Para a relatora, não há como absolver a mulher por falta de provas. “As provas não deixam dúvidas acerca da participação de no mínimo três indivíduos no evento criminoso, e que a ré possuía pleno conhecimento disso, o que impede o afastamento da majorante do concurso de pessoas. Da mesma forma, o emprego de arma era previsível e, sendo a apelante pessoa que deu suporte na preparação do evento ilícito, era sabedora do emprego de arma. Por outro lado, não restou demonstrado que a ré tinha ciência da restrição da liberdade da vítima, pois em juízo nada foi produzido neste sentido e cuida-se de comportamento que nem sempre é esperado. Destaca-se, ainda, que a acusada não estava no local quando da realização do roubo”, disse a desembargadora Salete Sommariva em seu voto. Participaram também do julgamento os desembargadores Norival Acácio Engel e Antônio Zoldan da Veiga.

Must Read

ETA da Cristalina foi destaque do briefing promovido pela SECOM

Na tarde de segunda-feira, 15, a Secretaria de Educação da Prefeitura de Brusque realizou mais uma edição do Briefing Semanal com a...

Proibição de telemarketing de telefônicas começa nesta terça-feira

Entra em vigor nesta terça-feira (16) a lista Não Perturbe para as operadoras de telecomunicações. Os clientes incluídos nesse grupo não poderão ser objeto...

Conversando com Você de 16 de julho de 2019

Conversando com Você de 16 de julho de 2019. Ouça! Conversando com Você de 16 de julho de...

Manhã Mais – resultado sorteio 16 de julho.

Kit balanceamento + check-up da Fredy Pneus. Ganhadora : Maiara Rodrigues

Obituário do dia

SC Funerária - Faleceu às 6h42 de segunda-feira (15), com 84 anos, Vitor Venturi, que morava no bairro Guarani. Velório na Capela...
WhatsApp chat